Rosh Hashaná: confira 4 curiosidades sobre a celebração do Ano Novo judaico

A data é marcada por tradições e guarda algumas curiosidades que você provavelmente não sabia.

Por Redação National Geographic Brasil
Publicado 15 de set. de 2023, 18:00 BRT
Um grupo de pessoas reza no Muro das Lamentações, um santuário judaico (1926).

Um grupo de pessoas reza no Muro das Lamentações, um santuário judaico (1926).

Foto de Jules Gervais Courtellemont

A partir do pôr do sol desta sexta-feira, dia 15 de setembro, judeus de todo o mundo darão início às celebrações do Rosh Hashaná, o Ano Novo judaico. 

Como os judeus seguem o calendário hebreu lunar (e não o calendário gregoriano tradicional), os dias são contabilizados de maneira diferente, fazendo com que, em 2023, a passagem de ano ocorra em setembro. Confira, abaixo, quatro curiosidades sobre o Rosh Hashaná.

1. Comidas, orações e reflexões marcam o Rosh Hashaná

“Na primeira noite de Rosh Hashaná, um costume de Ano Novo determina que as iguarias sejam preparadas como sinal de boa sorte. Na noite seguinte, costuma-se comer pão e frutas mergulhados em mel, e uma bênção especial é recitada”, explica a Encyclopædia Britannica, plataforma de dados voltada para educação e pesquisa. 

Além das orações e das comidas, costuma-se tocar também o shofar, uma trombeta feita de chifre de carneiro cujo som é entendido como um chamado para o arrependimento dos pecados.

2. O Rosh Hashaná celebrará o início do ano 5784

Enquanto grande parte do mundo segue o calendário em que 2023 é o ano atual, os judeus estarão celebrando a saída do ano 5783 e a entrada em 5784.

A celebração tem duração de dois dias. Nesse ano, inicia-se na noite de 15 de setembro e vai até a noite do dia 17, no domingo. 

É tradição que as pessoas não trabalhem e participem de cerimônias especiais em suas sinagogas (templo dos judeus), conforme explicado em reportagem da National Geographic de setembro de 2022.

Um judeu hassídico na Ucrânia mergulha antes de Rosh Hashanah em um lago de pedreira.

Foto de John Stanmeyer

3. Rosh Hashaná também é o Dia do Julgamento 

De acordo com um artigo publicado no site da Embaixada de Israel no Brasil, o Rosh Hashaná também é o Dia do Julgamento, no qual Deus irá determinar o destino de cada um para o ano que se inicia.

Britannica acrescenta que o Rosh Hashaná marca ainda a comemoração da criação do mundo, e a comunidade judaica relembra as suas responsabilidades como “povo escolhido de Deus”.

4. As origens do Rosh Hashaná não são totalmente precisas

O Rosh Hashaná é celebrado há milhares de anos, mas não se sabe exatamente como começou.

A escritura judaica menciona o mês e dia de uma comemoração semelhante, mas não a denomina como Rosh Hashaná, afirma a matéria da National Geographic.

Há, na Bíblia, uma passagem em Levíticos no qual Deus diz a Moisés “que o povo de Israel deveria observar o primeiro dia do sétimo mês como um dia de descanso e marcá-lo com o toque de chifres”.

A reportagem menciona ainda que a primeira referência ao Rosh Hashaná em um texto rabínico (relativo aos rabinos, mestres e líderes da comunidade judaica) é de 200 d.C. 

loading

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2024 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados