O que são os combustíveis fósseis e quais são eles?

Grande parte da energia usada em todo mundo provém de materiais fósseis formados há centenas de milhões de anos – e isso tem sérias consequências ambientais. Saiba mais!

Por Christina Nunez
Publicado 14 de dez. de 2023, 08:00 BRT
A usina Scherer em Juliet, Geórgia, é a maior usina elétrica movida a carvão dos Estados ...

A usina Scherer em Juliet, Geórgia, é a maior usina elétrica movida a carvão dos Estados Unidos. Ela queima 34.000 toneladas de carvão diariamente, bombeando mais de 25 milhões de toneladas de dióxido de carbono na atmosfera a cada ano.

Foto de Robb Kendrick, Nat Geo Image Collection

As plantas em decomposição e outros organismos, enterrados sob camadas de sedimentos e rochas, levaram milênios a transformar-se nos depósitos ricos em carbono a que hoje chamamos de combustíveis fósseis. Estes combustíveis não renováveis, que incluem o carvão, o petróleo e o gás natural, fornecem cerca de 80% da energia para o mundo inteiro. Eles fornecem eletricidadecalortransportes, ao mesmo tempo que alimentam os processos de fabrico de uma enorme variedade de produtos, do aço aos plásticos.

Quando os combustíveis fósseis são queimados, eles liberam dióxido de carbono e outros gases com efeito de estufa, que, por sua vez, retêm o calor na nossa atmosfera, tornando-os os principais responsáveis pelo aquecimento global e pelas mudanças climáticas.

Quais são os principais tipos de combustíveis fósseis?

Existem vários grupos principais de combustíveis fósseis, entre eles os principais são:

Carvão: Pedaços pretos ou castanhos de rocha sedimentar que variam de friável a relativamente duro, o carvão começou a formar-se durante o período Carbonífero, há cerca de 300 a 360 milhões de anos, quando as algas e os detritos da vegetação das florestas pantanosas se instalaram cada vez mais profundamente sob camadas de lama. 

Extraído por métodos superficiais ou subterrâneos, o carvão fornece um terço de toda a energia mundial, sendo os principais consumidores e produtores de carvão são a China, a Índia e os Estados Unidos. O carvão é classificado em quatro categorias: antracite, betuminoso, sub-betuminoso e lenhite – de acordo com o seu teor de carbono.

As emissões de dióxido de carbono provenientes da combustão do carvão representam 44% do total mundial e são a maior fonte individual do aumento da temperatura global acima dos níveis pré-industriais. As consequências para a saúde e para o meio ambiente da utilização do carvão, juntamente com a concorrência do gás natural barato, contribuíram para o declínio de seu uso nos Estados Unidos e em outros países. Mas em outros locais, como a Índia, prevê-se que a procura por carvão aumente.

Petróleo: O petróleo bruto, um líquido composto principalmente por carbono e hidrogênio, é frequentemente preto, mas existe em uma variedade de cores e viscosidades, dependendo da sua composição química. Grande parte formou-se durante o período Mesozóico, entre 252 e 66 milhões de anos atrás, à medida que o plâncton, as algas e outras matérias se afundavam no fundo dos mares antigos e acabavam por ser enterradas.

Extraído de poços em terra e no mar, o petróleo bruto é refinado numa variedade de produtos petrolíferos, incluindo gasolina, gasóleoóleo para aquecimento. Os principais países produtores de petróleo são os Estados Unidos, a Arábia Saudita e a Rússia, que juntos representam quase 40% do abastecimento mundial.

A utilização do petróleo é responsável por quase metade das emissões de carbono nos Estados Unidos e por cerca de um terço do total mundial. Para além da poluição atmosférica libertada quando o petróleo é queimado, a perfuração e o transporte deram origem a vários acidentes ambientais graves, como o vazamento do Exxon Valdez em 1989, o desastre da Deepwater Horizon em 2010, o devastador descarrilamento do comboio de petróleo Lac Megantic em 2013 e milhares de incidentes com oleodutos. 

No entanto, a procura de petróleo continua a aumentar, impulsionada não só pela nossa sede de mobilidade, mas também pelos muitos produtos – incluindo os plásticos – fabricados com petroquímicos, que são geralmente derivados do petróleo e do gás.

Gás natural: Um gás inodoro composto principalmente por metano, o gás natural encontra-se frequentemente em depósitos que, tal como os do carvão e do petróleo, se formaram há milhões de anos a partir de matéria vegetal e organismos em decomposição. Tanto a produção de gás natural como a de petróleo aumentaram nos Estados Unidos nas últimas duas décadas devido aos avanços na técnica de perfuração que a maioria das pessoas conhece como fracking.

Ao combinar o fracking – que é uma fracturação hidráulica – com a perfuração horizontal e outras inovações, a indústria dos combustíveis fósseis conseguiu extrair recursos que anteriormente eram demasiado caros. Como resultado, o gás natural ultrapassou o carvão e tornou-se o principal combustível para a produção de eletricidade nos Estados Unidos, que lideram a produção mundial de gás natural, seguidos pela Rússia e pelo Irã.

O gás natural é mais limpo do que o carvão e o petróleo em termos de emissões. Só que, apesar disso, representa um quinto do total mundial de emissões tóxicas, sem contar com as chamadas “emissões fugitivas” que escapam da indústria, que podem ser significativas. 

Nem todas as fontes de gás natural do mundo estão ativamente exploradas. Os hidratos de metano submarinos, por exemplo, onde o gás está preso na água congelada, estão sendo considerados como um potencial recurso de gás.

Como reduzir as emissões de combustíveis fósseis

Governos de todo o mundo estão agora empenhados em reduzir as emissões de gases de efeito estufa provenientes de combustíveis fósseis para evitar os piores efeitos das mudanças climáticas, como fizeram na última COP organizada pela ONU. 

Em nível internacional, os países se comprometeram com metas de redução de emissões como parte do Acordo de Paris de 2015, enquanto outras entidades – incluindo cidades, estados e empresas – assumiram seus próprios compromissos. Esses esforços geralmente se concentram na substituição de combustíveis fósseis por fontes de energia renováveis, no aumento da eficiência energética e na eletrificação de setores como transporte e edifícios.

Entretanto, muitas fontes de emissões de carbono, como as usinas elétricas existentes que funcionam com gás natural e carvão, já estão bloqueadas. Considerando a contínua dependência do mundo em relação aos combustíveis fósseis, muitos argumentam que, além dos esforços para substituí-los, também precisamos sugar o carbono do ar com tecnologias como a captura de carbono, na qual as emissões são desviadas para o armazenamento subterrâneo ou recicladas antes de chegarem à atmosfera. 

Alguns projetos em escala comercial em todo o mundo já captam dióxido de carbono das chaminés das usinas movidas a combustíveis fósseis e, embora seus altos custos tenham impedido uma adoção mais ampla, os defensores esperam que os avanços na tecnologia acabem por torná-la mais acessível.

loading

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2024 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados