O que faz os cabelos ficarem brancos? Confira como a ciência explica os diferentes fatores

O cabelo grisalho é um dos sinais mais evidentes do envelhecimento. Será que um dia a ciência poderá encontrar uma maneira de reverter esse quadro?

Por Erin Blakemore
Publicado 1 de jul. de 2024, 07:00 BRT
Uma mulher aproveita o sol em Marin, na Califórnia, Estados Unidos. Embora a maioria dos cabelos ...

Uma mulher aproveita o sol em Marin, na Califórnia, Estados Unidos. Embora a maioria dos cabelos brancos seja resultado do envelhecimento, outros fatores como o fumo, a exposição aos raios UV e as doenças da tireoide também podem ser culpados.

Foto de Keenpress

Existe uma fonte da juventude? Como a ciência ainda não encontrou uma cura universal para o envelhecimento, muitos encontram um antídoto paliativo para a implacável marcha do tempo em um frasco – ou seja, um frasco de tintura de cabelo.

Cobrir os cabelos grisalhos é um negócio multimilionário em todo o mundo, um gigante da beleza que promete um alívio temporário de um dos sinais mais óbvios do envelhecimento. Mas, afinal, por que o cabelo fica grisalho e será que um dia a ciência descobrirá uma maneira de reverter esse quadro?

resposta mais provável está dentro de nossos folículos capilares, o local onde a pigmentação do cabelo começa e, para muitos, desaparece. As células que tornam nossos cabelos brancos, os melanócitos, são as mesmas que produzem o pigmento melanina, responsável pela cor de nossos cabelospele e olhos.

"Sua única função é produzir pigmento e depositá-lo na haste do cabelo à medida que ele cresce", explica Melissa Harris, professora associada de biologia da Universidade do Alabama em Birmingham, nos Estados Unidos. Assim como a cor da pele, acredita-se que a cor do cabelo tenha evoluído como parte da proteção do corpo contra os raios solares.

propósito evolutivo original da cor do cabelo pode ser simples, mas a ciência por trás de sua tonalidade é tudo menos isso. Centenas de genes desempenham um papel importante, e acredita-se que a cor do cabelo seja uma de nossas características herdadas mais visíveis, com até 99% da cor do cabelo sendo determinada geneticamente.

Fato 1: Os cabelos grisalhos são cheios de ar


Cada cabelo da sua cabeça está em algum momento de um ciclo de crescimento de quatro partes: a fase anágena, que dura anos, na qual as células capilares crescem a partir do folículo; a fase catágena ou de transição, quando o crescimento diminui e o cabelo se separa do folículo; a fase telógena ou de repouso, na qual o folículo se prepara para soltar o cabelo e crescer um novo; e a fase exógena, durante a qual dezenas, e às vezes centenas, de cabelos são eliminados por dia do couro cabeludo. Esse ciclo regenerativo é contínuo e cada folículo tem sua própria linha do tempo.

pigmentação do cabelo ocorre durante a fase anágena crítica. Quando o ciclo capilar começa, as células-tronco dentro do bulbo de um folículo capilar geram células melanócitos, que, por sua vez, produzem pigmento. Esses melanócitos morrem no final do ciclo capilar e o folículo produz novos melanócitos a partir das células-tronco à medida que o ciclo de crescimento se repete.

Mas, com o tempo, explica Harris, os melanócitos podem perder força, produzindo menos – e, eventualmente, nenhuma – pigmentação. "Eles não estão mais fazendo seu trabalho", diz ela. "A população de células-tronco também diminui. Se essas células-tronco desapareceremvocê não terá os melanócitos durante o próximo ciclo capilar." Como resultado, em vez de estar repleta de melanina, a haste do cabelo é preenchida com ar, e nossos olhos percebem a haste semitransparente como desbotada, prateada ou branca.

Fato 2: Os cabelos brancos são causados por mais fatores do que só o envelhecimento


Como o envelhecimento ocorre no folículo piloso, o pigmento do cabelo não pode ser alterado depois que ele cresce a partir do folículo. Mas alguns processos alimentam um mito de longa data de que o estresse pode fazer com que as pessoas fiquem grisalhas "da noite para o dia". Na verdade, o estresse pode desencadear uma condição conhecida como eflúvio telógeno, essencialmente um aumento do número de cabelos que não estão mais crescendo ativamente e que resulta em mais queda de cabelo do que o normal. Os cabelos que permanecem podem parecer mais óbvios, colocando os cabelos grisalhos existentes na frente e no centro.

A idade não é o único fator que pode fazer com que os melanócitos percam sua força. A genética também desempenha um papel na perda de pigmento, e a raça e a etnia estão associadas à idade em que os cabelos ficam grisalhos, sendo que as pessoas brancas ficam grisalhos até uma década antes dos negros. O estilo de vida também é importante, observa Harris: "Existem alguns fatores ambientais claros que podem aumentar o risco de envelhecimento precoce", afirma ela.

tabagismo, a exposição aos raios UV, certas deficiências nutricionais, a exposição à poluição do ar e o consumo excessivo de álcool estão associados à perda precoce da pigmentação, assim como doenças como a neurofibromatose, uma doença hereditária que causa o crescimento de tumores por todo o corpo, e doenças da tireoide

Outras pessoas, como as que têm vitiligo, uma forma rara de albinismo, ou a síndrome de Griscelli, uma doença genética que afeta a pigmentação da pele e dos cabelos, podem desenvolver cabelos grisalhos já na infância ou no início da vida.

Fato 3: Ele pode fazer com que você pareça charmoso ou abatido


Apesar de sua finalidade evolutiva original, a importância e a frequência da cor do cabelo – e as preferências dos seres humanos por penteados de cores diferentes – foram ajudadas por nossos impulsos reprodutivos. Embora a ciência esteja dividida, acredita-se que os homens tenham desenvolvido uma preferência evolutiva por cores de cabelo mais raras, como o loiro, e pessoas de ambos os sexos veem a cor do cabelo como um indicador de saúde e idade.

Para o bem ou para o mal, o cabelo grisalho está associado à idade e pode afetar profundamente a maneira como nos vemos a nós mesmos e aos outros. Embora até 23% das pessoas em todo o mundo tenham pelo menos 50% de cabelos grisalhos aos 50 anos de idade, há muita discriminação contra aqueles que não cobrem seus cabelos grisalhos. 

E a percepção da sociedade sobre os cabelos brancos pode variar dependendo do gênero da pessoa que ostenta as mechas grisalhas. Os homens são amplamente considerados mais distintos, charmosos e atraentes à medida que envelhecem, um fenômeno apelidado de “efeito George Clooney” em homenagem ao sempre belo ator norte-americano. As mulheres, no entanto, enfrentam preconceito em relação aos cabelos grisalhos visíveis, e por conta disso, até 75% delas tingem os cabelos.

Um estudo de 2022 publicado no Journal of Women Aging descobriu que as mulheres vivenciam um conflito entre a sabedoria e a competência percebidas nos cabelos grisalhos, seu desejo de mostrar seu "eu" autêntico e as expectativas da sociedade de permanecerem jovens e envelhecerem "com sucesso", ou seja, envelhecerem sem ter rugas ou cabelos brancos. 

Quando entrevistaram mulheres que haviam abandonado a tintura de cabelo e as tentativas de parecerem mais jovens, os pesquisadores descobriram que "em vez disso, elas se cobriam por meio de uma atenção cuidadosa ao estilo do cabelo, aos cosméticos e às roupas, em uma tentativa de reduzir qualquer impressão de terem se deixado levar". Como resultado, concluíram os pesquisadores, as mulheres acabaram gastando tanto tempo, dinheiro e esforço para parecerem "competentes" e "bem cuidadas" à medida que envelheciam quanto gastavam para pintar o cabelo.

Fato 4: Talvez um dia seja possível reverter a cor dos cabelos grisalhos


Não é de se admirar, portanto, que muitas pessoas vejam seus primeiros cabelos brancos visíveis como um marco indesejável de envelhecimento. Mas, em breve, a ciência poderá reverter o processo que causa o desbotamento dos cabelos, diz Harris, que trabalhou extensivamente com células-tronco produtoras de melanócitos.

Até o momento, ela descobriu que o envelhecimento do cabelo pode estar ligado a uma resposta imunológica e agora está trabalhando em possíveis maneiras de reativar as células-tronco. O trabalho de Harris se baseia em outras pesquisas que mostram que essas células-tronco podem ser manipuladas em laboratório, além de um estudo surpreendente que mostra a repigmentação em um grupo de pacientes com câncer de pulmão cujos cabelos recuperaram a cor depois de receberem um tratamento de imunoterapia.

A chave pode ser uma proteína chamada PD-LI, que suprime o sistema imunológico e é mais expressa por células-tronco produtoras de melanócitos dormentes do que por aquelas no estágio de divisão ativa.

"Ela pode, na verdade, ter algumas funções novas que ainda não avaliamos", pondera Harris. "O que essa proteína está fazendo nas células-tronco? Poderíamos usá-la para ativar [a pigmentação do cabelo]?"

Por enquanto, o trabalho continua, e não é apenas cosmético: Harris acredita que o processo de pigmentação do cabelo humano tem lições a ensinar à ciência sobre outras formas como nosso corpo envelhece e responde ao estresse e a fatores ambientais – com implicações muito mais amplas para a saúde humana em geral. Se tivermos sorte, a descoberta de como reverter o envelhecimento dos cabelos pode trazer uma vantagem ainda maior – a capacidade de manter a saúde por mais tempo e aproveitar melhor a vida que, para a maioria, traz alguns cabelos brancos ao longo do caminho.

mais populares

    veja mais
    loading

    Descubra Nat Geo

    • Animais
    • Meio ambiente
    • História
    • Ciência
    • Viagem
    • Fotografia
    • Espaço
    • Vídeo

    Sobre nós

    Inscrição

    • Assine a newsletter
    • Disney+

    Siga-nos

    Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2024 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados