Dia da Terra

Espécies Ameaçadas

Gato-maracajá

Também conhecido como gato-do-mato e encontrado sobretudo na Amazônia e na Mata Atlântica, o felino deve enfrentar uma redução drástica em sua população na próxima década.

Mico-leão-dourado

Símbolo da luta pela conservação de espécies ameaçadas de extinção no Brasil, estima-se que haja 1,6 mil indivíduos desse simpático primata na natureza atualmente.

Peixe-boi-da-amazônia

Caçados por por sua carne, gordura e pele, a menor entre todos as espécies de peixes-bois viu sua população declinar consideravelmente no último século.

Mutum-do-sudeste

Caça e devastação fizeram com que restassem apenas 250 indivíduos dessa espécie endêmica da Mata Atlântica na natureza.

Cardeal-amarelo

Beleza e canto agradável tornaram a ave um alvo preferencial entre criadores de pássaros em cativeiro e traficantes de animais silvestres.

Tiriba-de-peito-cinza

Cobiçada por traficantes e colecionadores por sua beleza, estima-se que existam apenas 250 indivíduos adultos da espécie na natureza hoje.

Proteja

Misterioso e peculiar, minissapo brasileiro descoberto no século 21 já está criticamente ameaçado

Descrito há quase uma década pelo biólogo e explorador da National Geographic Pedro Peloso, o sapinho-da- restinga, encontrado apenas no Espírito Santo, ainda é uma incógnita para os cientistas.

“Se não agirmos rápido, o tamanduá-bandeira corre o risco de ser extinto”

Explorador da National Geographic, o biólogo Vinicius Alberici participa de uma série de ações voltadas para a conservação da espécie, como o projeto que visa mitigar os impactos dos atropelamentos nas populações de tamanduá-bandeira do Cerrado.

Jardineiras da floresta: ameaça às antas põe em risco a biodiversidade de ecossistemas brasileiros

Exploradora da National Geographic, a conservacionista Patrícia Medici alerta para a importância do maior mamífero terrestre da América do Sul na natureza.

Mais animais

Elefante-africano

A caça predatória, que visa comercializar o marfim, e a esportiva são suas principais ameaças. Estima-se que antes da chegada dos europeus na África, 26 milhões de elefantes viviam no continente. Hoje, restam 400 mil. 

Pangolim-malaio

A espécie tem sido caçada até a extinção por causa de sua carne e escamas, utilizadas na medicina tradicional chinesa, apesar da falta de evidências de que tenham algum efeito.

Rinoceronte-de-sumatra

Antes encontrados em todo o sudeste asiático, especialmente em densas florestas montanhosas, hoje é um dos rinocerontes mais raros do mundo. 

Chimpanzé

Juntamente com os bonobos, eles são nossos parentes vivos mais próximos. Acredita-se que humanos e chimpanzés compartilham um ancestral comum que viveu há cerca de sete a 13 milhões de anos.

Leão-africano

Apesar de serem admirados como símbolos de força e coragem no mundo inteiro, as populações de leões africanos diminuíram pela metade nos últimos 25 anos.

Sapo-de-crista-de-porto-rico

Uma população descoberta em 1967 deu esperanças à espécie que pesquisadores acreditavam estar extinta. Desde então, esforços como fertilização em vitro tentam salvá-la da ameaça crítica de extinção.

Conservação

Para recuperar a paisagem marinha do Brasil, esta pesquisadora une ciência e saber popular

A bióloga Beatrice Padovani conta com um interesse em comum entre pescadores e conservacionistas – a reabilitação de estoques de peixes – para salvar manguezais, recifes de coral e todo o bioma marinho costeiro.

Como esta cientista trabalha para reabilitar o maior e mais raro macaco das Américas

Além de descrever quase tudo que sabemos sobre o criticamente ameaçado muriqui-do-norte, o esforço de 38 anos de pesquisas de Karen Strier ajudou a recuperar uma população em Minas Gerais e deu esperança de um futuro para a espécie.

Uma naturalista do século 21 em busca do menor tamanduá do mundo

Depois de uma década atrás do elusivo tamanduaí nos rincões da Amazônia, Flávia Miranda explora os mangues e restingas do Delta do Parnaíba à procura dos indivíduos de uma população quase considerada extinta no Nordeste.