O que faz brilhar as águas desta lagoa nos Estados Unidos?

Na Flórida, pertinho dos parques da Disney em Orlando, um passeio noturno de caiaque permite aos visitantes mergulhar as mãos em águas bioluminescentes – uma paisagem que lembra o filme Avatar.

Por Terry Ward
Publicado 25 de jul. de 2022 17:11 BRT
No verão, a Indian River Lagoon, na Flórida, exibe extraordinária bioluminescência

No verão, a Indian River Lagoon, na Flórida, exibe extraordinária bioluminescência – mas o fenômeno também é um sinal de que o ecossistema está à beira do desequilíbrio.

Foto de BK Adventure

Esta atração fica a apenas uma hora de carro tanto dos parques temáticos da Disney, em Orlando, quanto do Centro Espacial Kennedy, no Cabo Canaveral, Estados Unidos, em uma rota que atravessa um dos habitats mais biodiversos da América do Norte. Mas a maioria das pessoas desconhece as maravilhas nas águas ao seu redor.

Estendendo-se por cerca de 250 km ao longo da costa leste da Flórida, a Indian River Lagoon é um ecossistema de flora e fauna raras. E há algo especial na água: aqui você encontrará a exibição mais confiável de bioluminescência natural nos Estados Unidos. 

A parte norte mais abrigada da Indian River Lagoon, onde o efeito é mais forte, é um destino deslumbrante para toda a família. Andando de caiaque em um passeio ecológico (ou por conta própria), é possível observar tainhas passando como foguetes – suas trilhas subaquáticas em um tom de azul, criado pelas algas únicas da lagoa, se assemelha ao azul do filme Avatar. É uma oportunidade de aprender sobre biologia marinha e o delicado equilíbrio dos ecossistemas.

À medida que aumentam vertiginosamente a população da Flórida e a pressão sobre suas águas – incluindo a liberação de nutrientes de fossas sépticas e escoamento de águas pluviais carregadas de fertilizantes que podem exacerbar a proliferação de algas –, o equilíbrio da lagoa está sob constante ameaça. Na verdade, o próprio organismo que produz bioluminescência pode se tornar prejudicial assim que florescer fora de controle.

Hutchinson Island abraça a costa leste da Flórida, separada do continente pela Indian River Lagoon.

Foto de Jeff Greenberg Getty Images

“Quando esses fitoplânctons morrem, eles são decompostos por bactérias que realmente consomem oxigênio. Baixos níveis de oxigênio podem levar à morte em larga escala das populações de peixes costeiros”, explica Yannis P. Papastamatou, biólogo marinho da Flórida e explorador da National Geographic. “Os estuários podem ser particularmente sensíveis a esses eventos, bem como as áreas nas quais os humanos dependem.”

Saiba como apoiar as comunidades locais conhecendo a Indian River Lagoon, tendo em mente o futuro do local.

A ciência explica a água brilhante

Várias empresas de caiaque em Titusville e Fort Pierce levam os turistas para passear pelas águas bioluminescentes durante os meses de verão, quando as noites escuras e sem lua apresentam as melhores condições para vê-las.

“Sempre digo às pessoas que o horário de pico para ver a bioluminescência, quando geralmente tem a maior intensidade na água, é o pior momento para estar ao ar livre na Flórida”, ressalta Austin Mahan, co-proprietário da A Day Away Kayak Tours, em Titusville. 

“Julho e agosto, quando você sai à noite e parece que há 100% de umidade, os insetos estão por toda parte. Mas, geralmente, é o melhor momento para ver isso [bioluminescência]”, acrescenta.

E o efeito? Pura magia, diz Mahan.

Ele conta que o feedback mais gratificante que recebe vem das crianças, que lhe dizem que gostam da experiência ainda mais do que dos parques temáticos.

Visitas guiadas são oferecidas ao redor da área da Indian River Lagoon; alguns até oferecem caiaques de fundo transparente.

Foto de BK Adventure

Quando as condições são mais claras, é possível ver a área de bioluminescência sob caiaques de policarbonato transparente. A cada braçada, surgem gotículas individuais de água pingando azul do remo e pintando círculos na superfície da lagoa.

Edith Widder, CEO da Ocean Research & Conservation Association, em Fort Pierce, EUA, e bolsista da MacArthur, estudou bioluminescência durante a maior parte de sua carreira.

Ela diz que ainda há muitas incógnitas em torno dos fatores que fazem com que as algas floresçam durante os meses de pico do final do verão, entre outras questões. O que sabemos, diz ela, é que os dinoflagelados bioluminescentes (microalgas) podem ser encontrados em oceanos e águas frias, mas o pyrodinium, a cepa da Indian River Lagoon, gosta de calor.

Também sabemos que o flash criado por dinoflagelados bioluminescentes quando estão agitados (por alguém remando ou um predador de passagem, por exemplo) é um mecanismo de sobrevivência. Widder acredita que o significado do sinal pode variar entre as espécies de dinoflagelados.

“Alguns produzem um único flash muito fraco e, nesse caso, acreditamos que é um aviso para um predador, dizendo: 'Sou tóxico'”, detalha Widder. Alguns dinoflagelados, incluindo a cepa de Pyrodinium bahamense na Indian River Lagoon, podem produzir uma potente neurotoxina chamada saxitoxina, que pode ser prejudicial a peixes e mariscos, devido ao envenenamento paralisante de mariscos.

À esquerda: No alto:

A bioluminescência na ilha porto-riquenha de Vieques é causada pelo mesmo organismo que vive na Indian River Lagoon: Pyrodinium bahamense.

Foto de David Littschwager Nat Geo Image Collection
À direita: Acima:

Dinoflagelados bioluminescentes, uma espécie de alga, brilham ao microscópio.

Foto de Paul Zahl Nat Geo Image Collection

Embora a mesma toxina também possa afetar os seres humanos, “a exposição usual é a ingestão de mariscos, cozidos ou crus, que acumularam a toxina”, esclarece Widder, e não de tocar nas algas. Em casos moderados, a doença pode causar formigamento e dormência no rosto e pescoço, enquanto casos mais graves podem levar a sintomas que se espalham para as extremidades e causam problemas respiratórios.

Uma das maiores incógnitas sobre o Pyrodinium bahamense na Indian River Lagoon, diz Widder, é por que ele produz saxitoxina às vezes, mas nem sempre – uma questão que os cientistas ainda estão estudando.

Outros dinoflagelados, como Pyrocystis noctiluca, também presentes na Indian River Lagoon, mas em menor número, produzem muitos flashes brilhantes, diz Widder. Ela acredita que os flashes atuam como uma espécie de alarme contra roubo, chamando a atenção para o predador, que por sua vez chama a atenção de predadores maiores que podem estar inclinados a comê-lo. Como resultado, o predador do dinoflagelado é consumido ou afugentado, diz Widder.

Um ecossistema em perigo 

O equilíbrio ecológico da Indian River Lagoon é uma teia delicada sob constante estresse de fatores humanos, exacerbado pelo crescimento populacional da Flórida, diz Widder.

Pyrodinium bahamense é visto sob um microscópio eletrônico, que captura imagens com menos de 10 nanômetros de diâmetro.

Foto de FWC Fish and Wildlife Research Institute

De 2020 a 2021, a Flórida teve a segunda maior taxa de crescimento de todos os 50 estados dos EUA, de acordo com dados do censo americano. O crescimento populacional de 14,6% no estado, de 2010 a 2020, a colocou à frente de Nova York como o terceiro estado mais populoso do país, sem incluir os milhões de visitantes que chegam para férias e negócios.

“O número de pessoas que entram na Flórida todos os dias é impressionante”, diz ela. “Há construção e desenvolvimento inacreditáveis ​​e estradas sendo construídas. E tudo está acontecendo sem consideração ambiental.”

Fossas sépticas e fertilizantes foram responsáveis por alimentar a proliferação de algas que causaram estragos na Indian River Lagoon, incluindo a devastadora proliferação de algas marrons de 2016, que matou grande parte dos habitats vitais de ervas marinhas da lagoa, de acordo com Duane. De Freese, diretor executivo do Conselho da Indian River Lagoon e do Programa Nacional do Estuário Indian River Lagoon.

O Pyrodinium bahamense bioluminescente da lagoa também pode florescer fora de controle se alimentado por muitos nutrientes que fluem para o ambiente de fontes externas.

O caiaque é uma maneira popular de ver a Indian River Lagoon de perto, a qualquer hora do dia.

Foto de Chad Elberson Getty Images

A proliferação de algas também contribuiu para a fome do peixe-boi e impactou a pesca em lagoas e a maior economia da Indian River Lagoon, que se estima gerar bilhões de dólares anualmente, diz De Freese. Ele aponta para Old Tampa Bay, Sarasota Bay e Biscayne Bay como tendo sido impactados de forma semelhante.

A solução é colocar a lagoa “em uma dieta nutritiva” – especialmente limitando nitrogênio e fósforo, aponta De Freese. Isso inclui atualizar e manter os planos de tratamento de águas residuais para acomodar a população crescente e melhorar os sistemas de águas pluviais e as conversões de esgoto. Os cidadãos também podem causar impacto, diz ele, cortando os pesticidas, fertilizantes e herbicidas que usam em seus gramados.

O programa Salve Nossa Indian River Lagoon, que aumenta meio centavo de imposto sobre vendas, aprovado em 2016 pelos residentes do Condado de Brevard, Flórida, trará uma receita estimada de 489 milhões de dólares em dez anos. O recurso será investido em projetos destinados a reduzir ou remover o excesso nitrogênio e fósforo da Indian River Lagoon.

“Esse é um bom exemplo de como uma economia robusta pode ajudar na conservação”, diz De Freese. “O público votou para se tributar porque este é um programa importante. Isso não aconteceria se não fôssemos economicamente sólidos.”

Os moradores esperam que os visitantes também se inspirem para ajudar a proteger o ecossistema único da lagoa.

Widder destaca que ver a bioluminescência da lagoa é uma experiência que muitas vezes permanece com os visitantes por toda a vida. “Eles costumam contar isso como uma de suas maiores experiências”, acrescenta. “E isso não pode deixar de ter um impacto no desejo de protegê-lo.”

PLANETA POSSÍVEL

Desde o descarte adequado de lixo até evitar seções de ervas marinhas, o Marine Resources Council oferece um guia abrangente sobre como você pode ajudar a proteger a lagoa. Confira também o guia da Ocean Research and Conservation Association. A Brevard Indian River Lagoon Coalition oferece uma seleção de oportunidades de trabalho voluntário, desde o plantio de mangue até a jardinagem de ostras. 

PLANO DE VIAGEM

Certifique-se de preparar sua família para o calor e traga repelente de insetos ecológico. É melhor usar mangas compridas e calças de cores claras para ajudar a manter os insetos afastados. Os operadores geralmente fornecem bastões luminosos para os remadores usarem em seus coletes salva-vidas para ficar de olho em todos; eles também são uma boa ideia para remadores autoguiados. Você provavelmente vai se molhar, então, traga uma muda de roupa. Faz parte da diversão.

Para experiências adicionais de vida marinha, visite a Smithsonian Marine Ecosystems Exhibit, no St. Lucie County Aquarium, em Fort Pierce, para ver modelos vivos de seis ambientes marinhos e estuarinos da Flórida, bem como ervas marinhas, manguezais, lagoas de fundo duro e habitats de recifes próximos à costa. Merritt Island National Wildlife Refuge oferece caminhadas noturnas para ninhos de tartarugas marinhas lideradas por guardas florestais, de junho a agosto.

Terry Ward é um escritor baseado na Flórida. Você pode encontrá-la no Twitter.

Continuar a Ler

Você também pode se interessar

Viagem
Mergulho fluorescente: conheça o mundo que brilha no escuro do oceano
Viagem
Conheça quatro lugares incríveis no mundo que precisam urgentemente de conservação
Meio Ambiente
Julho sem plástico: essas são as leis que buscam transformar a indústria
Viagem
Como destinos estão ajudando turistas LGBTQIAP+ a viajar com orgulho
Viagem
Dia Mundial das Tartarugas Marinhas: como ajudar a conservá-las?

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2021 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados