NationalGeographic_2652757

Os 9 eventos espetaculares no céu para ver em 2024

O novo ano está repleto de maravilhas para quem adora observar as estrelas e seus fenômenos, incluindo chuvas de meteoros em condições ideais e um eclipse solar total.

Um eclipse solar total em agosto de 2017, visto de Driggs, no estado de Idaho (Estados Unidos), com 99% de totalidade, quando produz um efeito de anel de diamante. Outro eclipse total do sol será visível nos Estados Unidos e em outros países em 8 de abril de 2024.

Foto de Ben Horton Nat Geo Image Collection
Por Andrew Fazekas
Publicado 4 de jan. de 2024, 08:00 BRT

Os observadores do céu terão uma surpresa neste novo ano, pois uma série de maravilhas iluminará os céus em 2024. As principais atrações que poderão cativar milhões de pessoas incluem um eclipse total do solchuvas de meteoros espetaculares – e, ao longo do ano, espera-se que auroras deslumbrantes sejam mais comuns à medida que o sol se aproxima do máximo solar. 

Fique de olho também no cativante emparelhamento da Lua com os planetas mais próximos e mais brilhantes, visíveis sem qualquer auxílio. E como se isso não bastasse, não apenas um, mas dois cometas podem enfeitar nossos céus.

Aqui estão os melhores eventos de observação do céu que irão ocorrer em 2024. Vale a pena marcar em seu calendário deste ano para não perder nenhum desses espetáculos celestes!

18 de janeiro: Júpiter e a Lua “dançam” juntos

mar13-2024

13 de Março de 2024

Foto de Illustration by Andrew Fazekas

O ano começa com uma combinação atraente de dois mundos vizinhos brilhantes: a Lua e Júpiter. O maior planeta do sistema solar dominará o céu do início da noite em 18 de janeiro, aparecendo ao lado de uma meia-lua brilhante. Se você perder o encontro de janeiro, não se preocupe, pois Júpiter e a Lua se encontrarão novamente no céu em 14 de fevereiro13 de março10 de abril em uma série de conjunções que seguem os ciclos mensais da Lua ao redor da Terra. 

Cada conjunção será única por si só, com a Lua se apresentando em várias fases e orientações ao lado do gigante joviano. Use binóculos para ver Júpiter e espiar seu próprio séquito de quatro grandes luas alinhadas ao seu lado.

8 de abril: um eclipse solar total atravessa a América do Norte

april8-2024

8 de abril de 2024

Foto de Illustration by Andrew Fazekas

O principal evento celestial do ano será um eclipse solar total de tirar o fôlego, que escurecerá os céus de milhões de observadores em toda a América do Norte, quando a Lua cobrir completamente o Sol. O caminho da totalidade desse eclipse do dia 8 de abril, no qual todo o disco do Sol é apagado pela Lua, passará por quatro estados do México15 estados dos Estados Unidos, do Texas ao Maine, e cinco províncias do Canadá, na parte leste do país. 

A totalidade enfeitará os céus de várias cidades importantes da América do Norte, incluindo Mazatlán, Austin, Dallas, Indianápolis, Cleveland, Buffalo e Montreal. A fase total do eclipse atinge a costa do Pacífico do México às 11h07, horário das montanhas (18:07 UTC), depois avança para o nordeste, atingindo o Texas às 12h27, horário central (18:27 UTC), Maine às 14h28, horário do leste (19:28 UTC) e, finalmente, Newfoundland às 15h58, horário local (19:28 UTC). A duração da totalidade varia ao longo do trajeto, durando até quatro minutos e 28 segundos perto da cidade de Torreón, no México, enquanto a maioria dos lugares no centro do trajeto experimentará de três minutos e meio a quatro minutos de escuridão.

Se você estiver viajando por essa região do planeta, lembre-se de que testemunhar esse fenômeno cósmico exige proteção adequada para os olhos. Encontre um local de visualização claro dentro do caminho da totalidade, e o eclipse total do sol de 2024 promete uma experiência inesquecível.

Abril: um cometa brilhante passa perto da Terra

april10-2024

10 de Abril de 2024

Foto de Illustration by Andrew Fazekas

Um cometa gigante, três vezes maior do que o Monte Everest, chamado 12P/Pons-Brooks, está se dirigindo rapidamente para o sistema solar interno. O cometa criovulcânico, composto principalmente de gelopoeira e gás, passou por várias explosões em 2023 e surpreendeu os astrônomos com seu rápido aumento de brilho. 

Em março desse ano, à medida que o cometa se aproxima do Sol, espera-se que ele realmente ganhe ritmo com o aumento da atração da gravidade de nossa estrela. Em abril de 2024, ele pode até se tornar visível a olho nu logo após o pôr do sol no céu ocidental. Procure-o em 12 de abril, quando o cometa deverá passar pelo brilhante Júpiter, o que facilitará muito sua localização. E nove dias depois, em 21 de abril, o cometa Pons-Brooks atingirá seu ponto mais próximo do Sol e poderá atingir o pico de brilho, proporcionando uma das melhores oportunidades de vislumbrá-lo. 

Também não deixe de procurar o cometa durante o já citado eclipse solar total de 8 de abril, quando ele aparecerá próximo ao sol eclipsado, potencialmente visível com binóculos ou até mesmo a olho nu se ele se acender – uma dupla celestial rara que promete ser um show inesquecível no céu!

4 de maio: a chuva de meteoros Eta Aquarídeas atinge o seu pico

may4-2024

4 de Maio de 2024

Foto de Illustration by Andrew Fazekas

Os entusiastas de estrelas cadentes não vão querer perder a chuva de meteoros Eta Aquarid em 2024, pois as condições do céu prometem ser ideais para o pico da chuva. As melhores vistas são esperadas nas primeiras horas da madrugada de 4 de maio, quando a lua crescente minguante não nascerá até pouco antes do amanhecer, o que significa que os céus particularmente escuros permitirão que os observadores de estrelas vislumbrem até mesmo as estrelas cadentes mais fracas. 

O radiante da chuva de meteoros – onde os meteoros individuais parecem se originar – estará próximo ao horizonte sudeste dentro da constelação homônima da chuva, Aquário. Devido a essa localização, o espetáculo do céu favorece ligeiramente os observadores que estiverem no Hemisfério Sul do planeta.

Lembre-se de escolher um local longe da poluição luminosa e dê aos seus olhos pelo menos 20 minutos para se ajustarem. Os observadores do céu em todo o Hemisfério Sul podem esperar ver uma impressionante exibição de 20 a 30 estrelas cadentes por hora, enquanto os observadores ao norte podem esperar de 10 a 20 por hora nas primeiras horas da madrugada de 4 de maio. Embora essa não seja a chuva mais abundante, as Aquáridas têm a distinção de se originarem da nuvem de poeira residual deixada pelo Cometa Halley, que passou pela última vez perto da Terra em 1986.

12 e 13 de agosto: o pico das Perseidas

aug12-2024

12 de Agosto de 2024

Foto de Illustration by Andrew Fazekas

Em meados de agosto, a Terra atravessa uma nuvem de detritos lançada pelo cometa Swift-Tuttle, produzindo uma enxurrada de estrelas cadentes no céu à medida que pequenos meteoros se queimam na atmosfera. Essa é a chuva de meteoros Perseidas, que pode produzir até 60 estrelas cadentes por hora em um ano típico. Este ano promete ser particularmente bom para as Perseidas, pois o pico da chuva coincidirá com um céu escuro e sem Lua

A Lua crescente irá se pôr por volta da meia-noite, proporcionando excelentes condições de observação durante a noite e antes do amanhecer. O Hemisfério Norte é o preferido para essa chuva, já que os meteoros parecem irradiar da constelação de Perseu, que fica perto do horizonte para quem está nas latitudes mais ao sul.

Os melhores pontos de observação são o mais longe possível da poluição luminosa, mas mesmo em um quintal ou parque suburbano, dezenas de estrelas cadentes devem ser visíveis a cada hora sob céu limpo.

Setembro e Outubro: a chegada do cometa C/2023 A3 (Tsuchinshan-ATLAS)

oct12-2024

12 de Outubro de 2024

Foto de Illustration by Andrew Fazekas

Os “caçadores de cometas” estão monitorando de perto o corpo celeste A3 Tsuchinshan-ATLAS, avistado pela primeira vez em fevereiro de 2023, que deve se tornar uma visão impressionante no final de 2024. No início do verão do Hemisfério Norte, ele estará visível no céu noturno, podendo ser observado com pequenos telescópios de quintal. Com a aproximação de setembro, a órbita do cometa o levará para perto do Sol e da Terra pela primeira vez em 80 mil anos

Os astrônomos esperam que ele se ilumine, possivelmente tornando-se visível por meio de binóculos ou até mesmo a olho nu, aparecendo baixo no céu oriental antes do nascer do sol nas latitudes do sul. Se o cometa sobreviver à sua jornada ao redor do Sol, o horário nobre para os observadores do Hemisfério Norte começará por volta de 12 de outubro

À medida que se eleva no céu noturno todas as noites, o cometa se tornará gradualmente mais visível. Prever o comportamento de um cometa é um desafio, mas o Tsuchinshan-ATLAS, ainda longe de sua aproximação mais próxima da Terra, mostra sinais de ser um visitante impressionante em nossos céus.

17 de setembro: Saturno se junta à Lua

nov10-2024

10 de Novembro de 2024

Foto de Illustration by Andrew Fazekas

Os últimos quatro meses do ano oferecerão uma sequência requintada de alinhamentos celestes, pois a LuaSaturno convergem uma vez por mês, começando em 17 de setembro. A visão impressionante, visível a olho nu, se repetirá em 14 e 15 de outubro, 11 de novembro8 de dezembro

Os dois mundos brilhantes serão visíveis logo após o pôr do Sol, e a distância entre eles será perfeita para binóculos de baixa ampliação, com os dois objetos facilmente observáveis juntos, embora não estejam próximos o suficiente para serem vistos juntos em um telescópio. O contraste de cores também tornará o par visualmente impressionante, com o brilho lunar prateado ao lado do tom amarelo distinto do planeta gigante.

2 de outubro: um anel de fogo no céu

Os espectadores sortudos do Hemisfério Ocidental serão presenteados com o segundo eclipse solar de 2024. O caminho do anel de fogo, ou eclipse anular, atravessa principalmente o Oceano Pacífico, limitando a visibilidade da terra a alguns locais. A primeira visão terrestre do eclipse anual ocorrerá na pitoresca Ilha de Páscoa (Chile), às 14h07, horário local (19h07 UTC). Os moradores de lá testemunharão impressionantes 6 minutos e 23 segundos de anularidade – a parte máxima do eclipse em que a Lua está na frente do disco solar, deixando um anel de luz solar em torno de sua borda

Esse fenômeno ocorre quando a Lua está mais distante da Terra do que durante um eclipse solar total e, portanto, parece menor no céu. O eclipse passará por partes do sul do Chile e se moverá rapidamente pelas montanhas dos Andes até a Argentina. Enquanto isso, um eclipse parcial do sol será visível para milhões de observadores na maior parte do sul da América do Sul.

4 de dezembro: Vênus e uma Lua crescente se aproximam após o pôr do sol

dec4-2024

4 de Dezembro de 2024

Foto de Illustration by Andrew Fazekas

Um presente de fim de ano antecipado está reservado para os observadores de estrelas, pois os dois objetos mais brilhantes depois do Sola Lua e Vênus, unem forças no céu no início da noite. Esses dois mundos estarão próximos o suficiente para serem vistos juntos por meio de binóculos e, como atração adicional, Vênus aparecerá como uma versão em miniatura do quarto de Lua em pequenos telescópios de quintal. Tudo o que você precisa fazer para apreciar o alinhamento celestial é procurar a Lua logo após o pôr do sol em 4 de dezembro.

Anote na agenda todos os eventos, torça por céu limpo e aproveite!

Andrew Fazekas é o principal autor do Atlas do National Geographic Stargazer e da segunda edição do best-seller The Backyard Guide to the Night Sky. Siga-o no Twitter, Facebook, Instagram e YouTube.

loading

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2024 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados