Os 20 destinos mais interessantes para visitar em 2024

Da Argentina à Austrália e da Noruega à Nova Escócia, esses lugares escolhidos pela revista National Geographic Traveller do Reino Unido indicam para viajar este ano.

Por Rory Goulding, Connor McGovern
Publicado 10 de jan. de 2024, 12:00 BRT
Cool17

O mais novo parque nacional do Chile, o Parque Nacional Desierto Florido, está entre os 30 principais destinos para visitar no próximo ano.

Foto de Cavan, Getty Images

Para começar o novo ano já de olho em bons destinos para viajar, percorremos o mundo para encontrar os 20 destinos mais interessantes para 2024. Com a inauguração de hotéis emblemáticos e novas rotas de trem que tornam as viagens mais fáceis do que nunca, há muito o que escolher para sua próxima viagem, seja para se conectar com a natureza na Noruega, escalar os picos do Himalaia em Sikkim ou saborear as estrelas da culinária de Lima, no Peru.

EUROPA
Alpes Albaneses, Albânia

Uma fuga selvagem na estrela em ascensão da Europa

Os viajantes em busca de algo um pouco diferente em sua próxima aventura na Europa estão cada vez mais procurando a Albânia. Essa parte do quebra-cabeça dos Bálcãs está atraindo um número cada vez maior de visitantes graças às suas costas adriática e jônica, ao intrigante passado otomano e ao cenário turístico relativamente incipiente.

Escondidos no interior do norte, os Alpes Albaneses são igualmente parte da atração. Conhecido, de forma um tanto sinistra, como as “Montanhas Amaldiçoadas”, esse reino de picos cársticos irregulares é um sonho para os caminhantes, onde linces perambulam pelas florestas de abetos e flores silvestres cobrem o chão dos vales. 

Aqueles que desejam enfrentar as trilhas desafiadoras da região podem optar por excursões de algumas empresas de turismo que incluem caminhadas por passagens nas montanhas, casas de família tradicionais e uma visita ao vilarejo de Theth, ponto de partida da trilha de caminhada Peaks of the Balkans

Belfast, Irlanda do Norte

Um ano de cultura há muito tempo prometido chega à casa do Titanic

Se o orgulho da cidade de Belfast é como uma flor que conseguiu crescer em um solo difícil, então o ano de 2024 deverá ver um super florescimento graças ao ano cultural da capital da Irlanda do Norte. O evento vem sendo preparado há anos – a década de 2010 viu um aumento sem precedentes no número de visitantes, atraídos em parte pelo novo museu Titanic Experience, seu uso como local de filmagem de uma famosa série e a chance de relembrar a história turbulenta com uma distância tranquila. 

A candidatura de Belfast em 2017 para se tornar a Capital Europeia da Cultura tinha o objetivo de aproveitar isso, mas foi prejudicada pelo Brexit. Não querendo desperdiçar o trabalho que já havia feito, a cidade continuou com os planos para um ano de celebração cultural. A maioria dos detalhes ainda não foi revelada, mas a orla fluvial e o patrimônio marítimo de Belfast terão grande importância, com uma iniciativa de construção de barcos em massa, entre outros. 

Haverá também uma colaboração com o Eden Project da Cornualha para explorar a relação da cidade com a natureza e, após sua inclusão na lista de 2021 como Cidade da Música da Unesco, o local de nascimento de Van Morrison e lar de mais de 80 locais de música certamente fará uma apresentação inesquecível.

Emilia-Romagna, Itália

Faça um tour pelo coração gastronômico da Itália em duas rodas

A famosa competição de ciclismoTour de France, começa na Itália no próximo verão, com o Grand Départ acontecendo na cidade de Florença no dia 29 de junho. Mas a maior parte da ação nessa primeira etapa não ocorrerá na Toscana, mas nos vilarejos e nas paisagens cobertas de vinhedos da vizinha região Emilia-Romagna. A linha de chegada será no resort de praia de Rimini, enquanto Bolonha e sua famosa culinária aguardam no final da segunda etapa. Em seguida, os ciclistas sairão da histórica Piacenza em sua última etapa até Turim.

Não que você precise de uma equipe de apoio para descobrir a região de bicicleta – esse é um dos maiores destinos de ciclismo da Itália, talvez melhor explorado em um itinerário suave e autoguiado, visitando BolonhaParma e Modena, com paradas panorâmicas no meio. Ciclistas mais experientes podem enfrentar a Ciclovia di Dante com seu próprio vapor: começando em Ravenna, onde o poeta morreu em 1321, a trilha serpenteia por 223 km de volta à sua terra natal, Florença, passando por cidades no topo de colinas e florestas de castanheiras ao longo do caminho.

A cidade de Bologna, na Itália, participará de uma etapa do Tour de France em 2024.

Foto de Julian Elliott, Getty Images

Europa de trem

O renascimento da ferrovia noturna continua

Depois de décadas em declínio, a rede de trens noturnos da Europa, outrora empoeirada, está renascendo. A operadora ferroviária austríaca ÖBB, que lidera o processo, está lançando 33 novos trens em seu serviço de trens noturnos Nightjet e uma série de novas rotas, incluindo Paris a Berlim. Em outros lugares, a European Sleeper está estendendo sua recém-lançada rota Bruxelas-Berlim para Praga, via Dresden, com planos de fazer trilhas também na Escandinávia e na Espanha. A Midnight Trains – que se autodenomina um "hotel sobre trilhos" inspirado na década de 1920 – também está pronta para lançar seu primeiro serviço, de Paris a Veneza via Milão, em 2025. 

Outras rotas que estão sendo preparadas incluem Paris para Edimburgo e Porto, o que significa que os viajantes da Escócia poderão em breve chegar a Portugal com apenas uma única troca na capital francesa, acomodando-se em vagões elegantes durante o trajeto. 

Essas empresas também não são as únicas a aproveitar o sentimento de nostalgia. No ano que vem, o trem de dormir Orient Express La Dolce Vita está pronto para lançar seis itinerários que abrangem toda a Itália, desde os Alpes cobertos de neve até a costa da Sicília. Naturalmente, é uma viagem muito elegante, evocando a era de ouro das viagens de trem, com uma paleta de cores creme, serviço cinco estrelas e culinária italiana de primeira linha.

Nordland, na Noruega

Inovação fora da rede no Círculo Polar Ártico

Nordland é uma região de geleiras e picos altos na Noruega, com pequenas cidades de pescadores e vilarejos remotos, onde as tradições Sámi se manifestam sob o sol da meia-noite ou a aurora boreal. No ano que vem, suas paisagens poderosas serão celebradas com a tão esperada inauguração do Six Senses Svart – o primeiro hotel do mundo com energia positiva, que funciona totalmente fora da rede a partir de sua própria energia solar. O design pioneiro será complementado por um spa nórdico e refeições sem desperdício.

Há muito para atrair viajantes aventureiros para essa costa repleta de fiordes durante todo o ano, com mountain bike e pesca no verão e trenós puxados por cães quando o inverno se aproxima. O trajeto sinuoso ao longo da E10 pelas Ilhas Lofoten, que se erguem como dragões corcundas do Mar da Noruega, é de tirar o fôlego. Nordland também oferece muita cultura: a cidade de Bodø está marcando a sua volta como uma das Capitais Europeias da Cultura em 2024 com eventos artísticos e musicais.

A viagem sinuosa ao longo da E10, passando pelos vilarejos de Leknes, nas Ilhas Lofoten (na Noruega), é uma das mais belas do mundo.

Foto de Roberto Moiola, Getty Images

Pompéia, Itália

Uma nova maneira de chegar a um clássico antigo

Aqueles que quiserem se aprofundar na Itália antiga depois de alguns dias explorando Roma, a Cidade Eterna, agora podem ir para Pompeia, Patrimônio Mundial da Unesco, em menos de duas horas, graças a um novo trem direto de Roma até lá. Anteriormente, os viajantes de um dia tinham que trocar de trem na estação Napoli Centrale na viagem de 150 milhas ao sul. 

O novo serviço, somente aos domingos, significa que é possível ir direto, saindo da estação Termini de Roma às 8h53 e chegando a Pompeia às 10h40. O trem de retorno parte às 18h40 e chega a Roma às 20h55 – bem a tempo de ir a uma trattoria para comer uma lendária carbonara de Roma.

O serviço também chegou em boa hora, já que a House of the Vettii de Pompeia, com afrescos do século I, saiu recentemente de uma reforma de 20 anos. Enquanto isso, na área Regio 9 do local, mais descobertas foram feitas em 2023, incluindo joias, restos humanos e um afresco de natureza morta representando alimentos. Como disse o ministro da cultura italiano, Gennaro Sangiuliano: "Pompeia é uma arca do tesouro que sempre revela novos tesouros".

Saimaa, na Finlândia

Um sabor dos lagos na Região Europeia de Gastronomia

Não é apenas o ar fresco e a paz que atraem os finlandeses para os bosques e lagos de Saimaa – é a comida também. E sua estrela deve crescer em 2024, quando a região se tornar a Região Europeia de Gastronomia. Grande parte dos produtos mais apreciados da região vem de suas florestas e águas: caça selvagemchanterelles e mirtilos dos bosques, perca e vendace dos lagos. As renas defumadas sugerem as influências árticas da região, enquanto produtores como a Ollinmäki Winery hasteiam a bandeira do crescente setor vinícola da Finlândia

A comida é uma bússola útil ao explorar um canto da Europa repleto de trilhas para caminhadascasas senhoriais e cidades históricasSärä, um prato de cordeiro assado e batatas, é uma especialidade de Lemi, enquanto os mercados da cidade vizinha de Lappeenranta e da cidade de Mikkeli vendem de tudo, desde picles locais e caviar finlandês até morangos frescos e tortas de carne. 

Vale a pena fazer um desvio para a cidade de Savonlinna, a cerca de 105 km de carro a leste – lar de uma fortaleza, é também o local de nascimento do lörtsy, uma massa em forma de lua crescente recheada com carne e arroz.

Eurocopa, na Alemanha

Um ano de arte, cultura e futebol de primeira classe

Durante um mês, a partir de meados de junho, a mania do futebol cairá sobre a Alemanha durante o 17º Campeonato Europeu da UEFA, proporcionando aos viajantes um novo motivo para visitar as cervejarias, as igrejas góticas e o Muro de Berlim do país no ano do 35º aniversário de sua queda. MuniqueHamburgo e a capitalBerlim – onde a final será realizada em 14 de julho – estão entre as 10 cidades-sede, mas a Eurocopa também oferece novos motivos para explorar os pontos menos conhecidos da Alemanha.

Os visitantes da cidade anfitriã, Dortmund, podem visitar o Museu Nacional do Futebol no Signal Iduna Park, que mostra a colorida história do esporte na Alemanha. Fica a cerca de 30 minutos a pé do Phoenix West, os ossos recuperados da antiga siderúrgica de Dortmund, que podem ser explorados em um Skywalk de 85 pés. Leipzig, outra cidade anfitriã, tornou gratuita a entrada em quatro de seus maiores museus, incluindo o Museu da Cidade e o Museu de História Natural

A uma hora de trem a leste, Dresden também deve estar no radar dos viajantes em 2024, pois marca os 250 anos do nascimento de Caspar David Friedrich, o pintor romântico que viveu na cidade. As comemorações incluem uma grande exposição na Dresden State Art Collections, inaugurada em 24 de agosto, para mostrar seu trabalho – grande parte do qual foi inspirado pela paisagem rural saxônica.

Valeta, em Malta

O combate de gladiadores retorna a uma cidade mediterrânea com vistas épicas

Uma sequência do filme que foi sucesso de bilheteria de 2000, Gladiador, está em andamento, com lançamento previsto para o final de 2024. E, assim como no original, o diretor Ridley Scott usou a luz do Mediterrâneo e a rocha dourada de Malta como tela para recriar a Roma antiga e suas arenas. As fotos do set mostram um Coliseu simulado e outros edifícios romanos tomando forma atrás das muralhas do Fort Ricasoli, do século 17, no leste da ilha, próximo à capital, Valeta

Não é de surpreender que os cineastas tenham se impressionado com Valeta. Patrimônio Mundial da Unesco, seu horizonte de ameias e cúpulas de catedrais foi moldado por uma ordem multinacional de cavaleiros que governou Malta entre os séculos 16 e 18.

Terraços situados acima de uma orla reluzente, onde varandas de casas de madeira se projetam sobre as ruas estreitas, cercam a Basílica de Nossa Senhora do Monte Carmelo, em Valeta – capital da ilha de Malta.

Foto de Sylvain Sonnet, Getty Images

Uísque no País de Gales

Faça um brinde ao renascimento das destilarias galesas

Escócia e a Irlanda podem ser os berços do uísque, mas o País de Gales também tem sua própria tradição secular. A produção de uísque aqui diminuiu no século 19 e foi somente na década de 1990 que o artesanato teve um renascimento lento e constante. Desde então, o setor floresceu – tanto que o uísque galês de malte único recebeu o status de IG (indicação geográfica) do Reino Unido em julho, juntando-se a produtos como o cordeiro galês e o sal marinho de Anglesey que receberam a cobiçada proteção. 

Nada melhor do que saboreá-lo na fonte. Os conhecedores podem saber mais sobre os métodos de produção envolvidos – e tomar um ou dois drinques – em uma das quatro destilarias de malte simples do País de Gales sancionadas pela IG do Reino Unido. Entre elas estão a In The Welsh Wind, situada nos campos ondulados acima da Cardigan Bay, e a Penderyn, localizada em Bannau Brycheiniog (antiga Brecon Beacons). A última fica a apenas alguns minutos dos desfiladeiros do Vale of Neath, também conhecido como Waterfall Country – tornou-se a primeira destilaria comercial do País de Gales em mais de 100 anos quando foi inaugurada em 2000. 

AMEÉRICAS
 

Deserto do Atacama, no Chile

Um novo oásis no lugar mais seco da Terra

Em raras ocasiões (cerca de uma vez a cada três a dez anos), durante algumas semanas na primavera, tapetes de flores silvestres irrompem do solo ressecado do Atacama, transformando um dos ambientes mais áridos do mundo em uma profusão de cores. Foi esse evento de "florescimento do deserto" em 2022 que levou o governo chileno a estabelecer o Parque Nacional Desierto Florido em 2023 - 141.000 acres de paisagem protegida a cerca de 32 quilômetros ao sul de Copiapó, no norte do Chile.

O parque foi criado para proteger a flora da região, grande parte da qual é endêmica do Atacama. Ele permitirá que os cientistas estudem mais de perto como as mais de 200 espécies de plantas – como a malva amarela e a pussypaw fofa - sobrevivem em algumas das condições mais adversas do planeta. Espera-se também que a vegetação resistente à seca possa oferecer soluções para os desafios impostos pela mudança climática, enquanto os microrganismos que vivem em quantidades residuais de água dentro das rochas daqui poderiam até mesmo oferecer pistas sobre a vida em Marte. 

novo parque é melhor admirado em um passeio de carro de Copiapó a Vallenar pela Rota 5. Normalmente, as paisagens planas da região têm sua própria beleza, mas em anos de superflorescência, a cena faz com que seja inevitável parar para admirar.

Lima, Peru

Experimente o sabor da empolgante capital gastronômica

estrela gastronômica de Lima mostra poucos sinais de enfraquecimento. Foi a única cidade com dois lugares entre os 10 melhores do mais recente prêmio World's 50 Best Restaurants. A culinária nikkei (fusão nipo-peruana) do Maido lhe rendeu o sexto lugar, enquanto o Central, considerado por muitos como tendo colocado Lima no mapa gastronômico global, ficou em primeiro lugar por seu foco inovador em ingredientes indígenas

Longe dos restaurantes com estrelas Michelin, os bares da capital peruana se tornaram rapidamente o ponto de encontro preferido dos limenhos. A maioria deles fica nos bairros de Barranco e Miraflores, incluindo o Hotel B, que serve pequenos pratos como ceviche de truta e tacos de leitão, e o elegante Insumo no AC Hotel, que adora Nikkei. 

Lima, a capital do Peru, é a única cidade com dois lugares entre os 10 melhores do mais recente prêmio World's 50 Best Restaurants.

Foto de Ken Motohasi

Nova Escócia, Canadá

Um banquete de música e frutos do mar chega à costa do Atlântico

Canadá Atlântico, que compreende a maior parte da costa leste do país, é mais conhecido pelos viajantes por seus frutos do mar, marés altas e emocionantes e faróis tradicionais agarrados à costa escarpada. Mas em agosto de 2024, sua comunidade acadiana de 400 anos estará no centro das atenções, pois o Congrès Mondial Acadien (Congresso Mundial Acadiano) será realizado entre os vilarejos na ponta sudoeste da Nova Escócia

Enquanto as reuniões de família fazem parte do programa para os descendentes dos colonizadores franceses originais, os viajantes podem esperar por concertos que mostram a cena musical acadiana cada vez mais diversificada, que é fortemente influenciada pelas raízes da comunidade no estilo bluegrass. As demonstrações de culinária também se basearão em alimentos tradicionais, incluindo a rica dispensa de lagostas e vieiras da costa.

O congresso é alternado a cada quatro anos entre diferentes locais ligados à diáspora acadiana, e esta será a primeira vez em duas décadas que o evento de nove dias estará de volta à Nova Escócia, ocorrendo bem ao lado das ondas do Atlântico.

O Canadá Atlântico, que compreende a maior parte da costa leste do país, é mais conhecido pelos viajantes por seus frutos do mar e é famoso por suas lagostas.

Foto de Chefmd, Getty Images

Os prédios de cores vivas que se agarram à costa da vila de pescadores de Peggy's Cove, na Nova Escócia (Canadá), são uma visão adorável.

Foto de BriBar, Getty Images

Península de Yucatán, México

Descubra culturas antigas no coração dos maias

Poucas descobertas arqueológicas mexem tanto com a imaginação quanto a descoberta de uma cidade perdida, e foi exatamente isso que aconteceu este ano nas profundezas cobertas pela selva da Península de Yucatán. Embora o local remoto de Ocomtún ainda esteja sendo devidamente desenterrado e os viajantes ainda não possam visitá-lo, ele acrescenta uma peça ao quebra-cabeça do que se sabe sobre civilização maia, que se espalhou por partes do MéxicoGuatemala e norte de Belize antes de seu misterioso colapso por volta de 900 d.C. 

Agora, tudo o que resta são as grandes construções de pedra e os templos piramidais, mas cerca de seis milhões de pessoas na região ainda falam o idioma maia, e essa cultura viva está cada vez mais refletida na forma como os visitantes podem conhecer a região. Hotéis como o recém-reformado Maroma, na Riviera Maya, ao sul de Cancún, seguem os princípios do design maia e oferecem tratamentos tradicionais em seus spas. O Camino del Mayab, por sua vez, é uma rota de 80 milhas para caminhadas e mountain bike que passa por comunidades e cenotes maias menos visitados e termina na cidade maia de Mayapán.

O deserto do Atacama, no Chile, é ocasionalmente coberto de flores silvestres, um fenômeno conhecido como "desierto florido", ou "floração do deserto"

Foto de Wirestock, Getty Images

Pântanos de Iberá, na Argentina

A vida selvagem sul-americana retorna a uma reserva subtropical

Não faz muito tempo, você não teria nenhuma chance de encontrar um tamanduá-bandeira no labirinto aquático que margeia a fronteira norte da Argentina. Agora, à medida que os esforços de reflorestamento nos pântanos de Iberá atingem um ponto de inflexão, há cerca de 200 dessas criaturas distintas, reconhecíveis por seus rostos finos e caudas grandes e desgrenhadas, sob as quais costumam dormir. 

Os pântanos estão localizados em uma ponta da Argentina que se espreme entre o Uruguai, o Paraguai e o Brasil para chegar às subtropicais Cataratas do Iguaçu. Antes amplamente ocupada por fazendas de gado, o núcleo da área de Iberá tornou-se um parque nacional em 2018. Os tamanduás-bandeira foram uma prioridade inicial para a reintrodução, mas outras criaturas seguiram seu rastro. Após a soltura de oito onças-pintadas em 2021, sua população agora é de uma dúzia; um pequeno número de lontras gigantes também está sendo preparado para a reintrodução. A chance de avistar essas criaturas ao lado de capivaras, jacarés e 370 tipos de pássaros faz do Pantanal do Iberá um paraíso para a observação da vida selvagem.

ÁFRICA

Florestas secas de Andrefana, em Madagascar

Um Patrimônio Mundial ampliado homenageia um ambiente único

Nos maravilhosos flancos ocidentais de Madagascar, as rochas são afiadas, as árvores bulbosas e as espécies de lêmures adaptadas para prosperar em uma região de outro mundo. A Reserva Natural Estrita de Tsingy de Bemaraha, Patrimônio Mundial da Unesco, famosa por seu labirinto de pináculos de calcário irregulares e inscrita pela primeira vez na Lista do Patrimônio Mundial em 1990, teve seus limites expandidos este ano para incluir as Florestas Secas de Andrefana. Embora essas florestas abriguem menos espécies em geral do que as florestas tropicais da costa leste, as que são encontradas aqui têm maior probabilidade de serem endêmicas. 

Isso é especialmente verdadeiro no Parque Nacional Tsimanampetsotsa, no sudoeste do país. Suas atrações mais visíveis são os baobás de troncos grossos, mas também é o lar do sifaka de Verreaux, um lêmure criticamente ameaçado de extinção, frequentemente visto pulando e saltando pelo chão da floresta.

 Os baobás crescem em 32 países africanos, mas são uma característica marcante da paisagem de Madagascar.

Foto de Tuul & Bruno Morandi, Getty Images

 Serra Leoa está exibindo sua beleza natural por meio de projetos liderados pela comunidade, como a primeira escola de surfe do país em Bureh Beach.

Foto de Tommy E Trenchard, Alamy

Serra Leoa 

Um aeroporto modernizado torna essa beleza natural mais fácil do que nunca de ser visitada

Novos rebentos do turismo estão finalmente surgindo em Serra Leoa, com a nova infraestrutura tornando mais fácil do que nunca o acesso ao país da África Ocidental. O aeroporto internacional inaugurado em Freetown, a capital, recebeu uma grande atualização em 2023, e muitos quilômetros de estradas estão sendo reformados.

A natureza é uma parte importante do apelo do país, com amplas praias de areia banhadas pelas ondas do Atlântico e um planalto montanhoso no interior que abriga o animal nacional do país, chimpanzé. Projetos liderados pela comunidade têm sido fundamentais para mostrar sua beleza natural, incluindo a primeira escola de surfe do país, na Praia de Bureh, e o Projeto de Ecoturismo Tasso, na Ilha Tasso, rica em manguezais, que administra um programa de resgate para o papagaio cinzento Timneh, ameaçado de extinção. Enquanto isso, a Ilha Bunce, Patrimônio Mundial da Unesco, é uma visita comovente, principalmente por seu papel no comércio transatlântico de escravos.

Em breve, os viajantes terão mais opções de acomodação para escolher, com hotéis surgindo em todo o país. Em Freetown, o refúgio hotel boutique Toma está acrescentando mais suítes, enquanto que, mais tarde, em 2024, o primeiro Hilton do país abrirá suas portas, oferecendo uma série de quartos luxuosos. O Estuary Resort, um refúgio de praia descontraído às margens de uma enseada, também está se expandindo, com novos chalés e uma piscina.

ÁSIA

Sikkim, na Índia

Um reino negligenciado do Himalaia entra no centro das atenções

Um canto do Himalaia encravado entre o Nepal, o Butão e o Tibete Sikkim, na Índia, é frequentemente ignorado. Um dos menores estados da Índia, foi seu próprio reino até 1975. Foi também o último estado do país a ter um aeroporto, em 2018, embora as dificuldades iniciais e as quedas de viagens na era da Covid tenham feito com que os serviços regulares fossem irregulares. 

Os voos diretos de Délhi e Calcutá foram retomados em 2023, uma medida que provocou um aumento no turismo doméstico – a rota alternativa envolvia uma viagem montanhosa de cinco horas até o aeroporto mais próximo. Os viajantes também podem participar depois de obter as permissões necessárias para visitar essa região de fronteira. Assim como no vizinho Butão, os visitantes são atraídos pelas oportunidades de trekking, pelos mosteiros nas montanhas e pelas deslumbrantes exibições coloridas dos festivais. O Kangchenjunga, a terceira montanha mais alta do mundo, eleva-se a 8.586 m na fronteira com o Nepal. É um ponto de destaque na caminhada de 10 dias e 80 quilômetros em Goechala. Também é possível fazer caminhadas mais curtas nessa terra de geleiras, onde as encostas das colinas são cobertas por rododendros e as florestas abrigam pandas vermelhos.

Xi'an, China

Uma maravilha de 2.200 anos marca cinco décadas acima do solo

É estranho pensar que, há apenas 50 anos, um ícone da cultura chinesa estava descansando desconhecido sob os campos da província de Shaanxi. Em 29 de março de 1974, fazendeiros que estavam cavando um poço descobriram a cabeça de uma figura que se revelou ser um dos mais de 8 mil soldados do Exército de Terracota. Seu dever era guardar o complexo de tumbas próximas do primeiro imperador da ChinaQin Shi Huang, após sua morte em 210 a.C. - a pirâmide baixa e coberta de floresta permanece inexplorada até hoje. O setor cultural do país não está parado, no entanto: 382 novos museus foram registrados somente em 2022, incluindo o Museu de Arqueologia Shaanxi de Xi'an

Os visitantes têm muito o que fazer, desde navegar pelo rio entre os picos cobertos de névoa de Guilin até encontrar um banquete de culinária regional em Pequim ou Xangai. Mas por onde começar melhor do que por Xi'an, a capital histórica, e o exército de terra que ainda está sendo remontado sob um vasto hangar em seus arredores?

OCEANIA
 

Victoria, Austrália

Mergulhe de cabeça na nova viagem rodoviária mais picante do país

As praias da Austrália estão no topo dos itinerários de muitos viajantes, mas as fontes termais menos conhecidas de Victoria podem estar prestes a tentar levar os viajantes para longe do surfe e da areia. Com base em uma história de banhos ao ar livre, graças às águas ricas em minerais que borbulham no subsolo, a Great Victorian Bathing Trail liga fontes termais e banhos de mar em todo o estado para formar uma viagem de 560 milhas, com a capital do estado, Melbourne, no centro da rota. 

Seis pontos já estão abertos, incluindo as luxuosas fontes termais e spa Alba, na Península Mornington, e Metung Hot Springs, onde um banho de imersão em um barril cheio de água termal pode ser seguido por uma noite em uma tenda estilo safári. Mais duas adições estão planejadas para a trilha em 2024: Phillip Island Hot Springs e o 12 Apostles Hot Springs and Resort. A uma curta distância de carro das icônicas pilhas de mar de mesmo nome, o último será o maior complexo de fontes termais da Austrália quando concluído, com 150 quartos e 3.363 metros quadrados de instalações de banho, extraídos de fontes termais naturais. 

loading

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeo

Sobre nós

Inscrição

  • Assine a newsletter
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2024 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados